quinta-feira, 8 de agosto de 2013

3º capítulo A troca e o convite



Na manhã seguinte, Júlia não tinha animo pra sair da cama. Sentia o corpo dolorido e os olhos mal abriram de tão inchados. Sentia cólicas e as pernas cansadas...
“O que eu tenho?”
Quando levantou o lençol percebeu que estavam sujos de sangue...
“Calma! Nada de desespero!”
Nesse momento ouviu a mãe na cozinha e ficou com medo, com vergonha do que estava acontecendo.
“Mamãe já conversou comigo sobre isso, eu já li sobre isso...”
Criando coragem, chamou a mãe:
- Mãe! Mãe! Por favor, vem cá! – sua voz não escondia o desespero.
- Júlia, ainda na cama? O que foi? - falou entrando no quarto que a filha dividia com os irmãos - Mário e Carlos já estão tomando café e... – D. Olga percebeu que a filha chorava baixinho. – Vamos o que foi?
- Mãe, sabe aquilo que a senhora disse que aconteceria comigo e que seria um sinal que estou deixando de ser criança? – falou com medo
- Meu Deus! Não me diga que... Ah Júlia! – sua mãe parecia encantada - não se preocupe... Esse será nosso segredo! Venha! Vou ajudar você...
E saindo do quarto voltou depois com uma pequena bolsa e começou a conversar com a filha, sobre as mudanças que ela estava passando.

Na Escola, antes de entrar em sala, Júlia foi falar com a diretora. D. Vera estava sentada atrás de sua mesa e tinha a frente muitos papéis, o qual lia e assinava um a um, sistematicamente. Foi quando reparou em Júlia parada na porta da sala.
- Júlia, não é mesmo? Vamos, entre!
- A senhora disse que queria falar comigo hoje... eu queria dizer que estou melhor... – Júlia tratou logo de esclarecer – não estou grávida, nem doente, eu...
- Humm você ficou incomodada com o que ouviu de minhas colegas de trabalho... fique tranqüila que já conversei com elas e proibi que seja comentado o assunto nesta Escola – e encarando Júlia perguntou – agora o que faço com você?  Minha amiga, D. Severina, sua antiga diretora, ligou semana passada querendo saber de você... – Vendo o assombro de Júlia, D. Vera memeou a cabeça sorrindo – é eu a conheço e ela ficou o tempo todo dizendo o quanto você é esforçada, inteligente e não sei mais o que ... então passei a lhe observar e perguntar aos professores como você estava indo em sala... ouça bem não costumo ficar sondando muito os alunos, mas quando me disseram  que nem lembravam de você, comecei a ficar inquieta... Severina não se engana...
Júlia continuava calada de cabeça baixa  em frente ao birô da diretora, escutando tudo aquilo, como se estivesse levando uma bronca.
-... Então entendi... ora como não tinha notado antes? Você está deslocada e separada de suas amigas... Bem, soube de seu desejo de  ficar na turma delas... posso lhe remanejar Júlia. É esse seu desejo?
- A senhora vai me deixar ficar na mesma sala de minhas amigas?? – Júlia perguntou encarando a diretora sem acreditar no que ouvia...
- Vou! – sorriu a diretora – e quero lhe convidar a fazer parte de nosso grupo de teatro da Escola também...
- Mas eu não sei... tenho medo de falar e muita vergonha...
- Isso vai lhe ajudar a superar seus medos Júlia, nunca fuja de algo que dá medo. Sempre enfrente o seu medo, senão ele toma conta de você...
- D. Vera! – chamou Júlia admirando aquela mulher a sua frente e transmitindo toda sua gratidão falou : Obrigada!
 Júlia saiu da sala sorrindo e foi para sua nova sala. Já não sentia tanto medo, pois estaria junto com suas amigas. Ao chegar na porta parou e pediu licença ao professor para entrar. Suas amigas aguardavam espantadas, enquanto Júlia explicava ao professor que D. Vera a trocara de sala.
Com um grande sorriso sentou junto de suas amigas e o professor retomou a aula.
- Você vai ficar conosco!! Viva!! – vibrou Graça em voz baixa.
Júlia sentou na cadeira mais próxima de suas amigas e baixando a cabeça, agradeceu a Deus. Finalmente sentia-se bem naquela nova escola... era como se aquele fosse o seu primeiro dia de aula.
 No intervalo, Júlia explicou tudo que acontecera, pois suas amigas queriam saber de tudo, mas não contou nada sobre o teatro...
- Mudando de assunto, hoje temos de sair no horário, não quero passar por aquele susto de ontem de novo... – avisou Flora – tive até pesadelos... arff!!
- Acho que ninguém quer passar por isso de novo, mas acho que conheço aquele homem que nos seguiu... não sei de onde... – comentou Graça.
- Olha gente, sei que a culpa foi minha... se eu não tivesse passado mal...
- Que é isso Jú? Você não passou mal porque quis! Eu disse que não devemos mais ficar até tarde, só isso... se alguém passar mal é diferente!
Como vou fazer parte das aulas de teatro se nem posso ficar após a aula? as meninas estão com medo e não quero ser culpada de novo pela saída após o horário...


QUERIDO DIÁRIO
09/03/1990

Hoje de manhã pensei que estava morrendo quando vi meus lençóis sujos de sangue, mas mamãe estava perto e me ajudou... agora não sou mais criança rsrsrs só pareço  criança ... Ai! Estou tão feliz!! A diretora trocou minha sala e agora estou junto de minhas amigas, até a aula pareceu melhor hoje!!
Humm  sobre ontem a noite, o vulto sabe, eu não contei nada aos meus pais e a Graça falou que acha o homem parecido com alguém... sei lá!  Ela sai muito mais de casa do que eu, talvez seja mesmo verdade... o que me preocupa é que a Gema hoje estava muito calada, não tive como conversar com ela, mas acho que ela tava chorando... o que será que ela tem?
           Quando cheguei hoje em casa tinha uma carta da vovó sobre a mesa e uma do Bil pra mim... ele escreve muito bem rsrsrs falou dos bezerros e cabritos que nasceram, da seca que faz com que ele vá buscar água nos barreiros vizinhos, da colheita da castanha de caju... falou que voltou a estudar e está pensando em tirar carteira de motorista, disse que quando eu for lá pode até me ensinar a dirigir, pois ta juntando dinheiro pra comprar uma caminhonete usada... disse também que ta interessado em uma garota, mas ela parece que não gosta dele, sabe como é né? como  namorada ... Ele já tinha falado nessa menina antes, mas toda vez que pergunto se conheci ela, ele não responde... acho difícil ter alguma garota que não goste de meu primo, além de bonito ele é muito esforçado ... ela deve está é cega, isso sim! Lembro que quando fomos ao povoado do Riacho do Mel, nossa as meninas ficavam todas derretidas... humm quem será essa garota?

3 comentários:

Bia Suzena disse...

Ângela, eu ia comentar, mas acabei esquecendo... Vc acreditaria se eu dissesse q aconteceu a mesma coisa comigo? eu estava no segundo ano do ensino médio, e estudava com minha prima, q sempre foi minha melhor amiga, e mais 3 amigas! as pessoas costumavam dizer q nós éramos o quarteto fantástico! No primeiro dia de aula, descobri q não havia sido colocada na mesma sala das meninas.. Imagina meu desespero!! as meninas ficaram desoladas!! no meu caso, fui conversar com o coordenador, e ele me disse a mesma coisa, q era complicado fazer a mudança.. mas eu implorei, quase chorando.. eu tinha acabado de me mudar pra cá, vindo do Rio, tinha chegado em outubro do ano anterior, e não foi horrivel pq fui estudar na mesma escola e sala da minha prima, e ela, por ser muito mais extrovertida q eu, era super popular, e me encaixou no grupo.. mas imagine meu desespero em pensar q não ficaria com ela?! No fim das contas, Deus tocou no coração do coordenador, e ele deixou eu mudar de sala! quando li esse cap, fiquei abismada com a coincidencia!! parece ate q eu tinha te contado e vc escreveu?! q legal!

Angela Lira disse...

Por isso que amo escrever rsrsrs as histórias, quase sempre são as mesmas, mas as soluções são diversas. Essa situação conheço bem Bia, pois trabalhando em escola acompanho vários casos assim, no meu caso também vivi um separação de grupo, esse não teve jeito, pois fomos para escolas diferentes.
Você vai perceber que nesse livro a Júlia está diferente, se perceber algo me conta tá rsrsrs
E você nunca me contou isso, juro!!
Abraços

Angela Lira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.