sábado, 17 de agosto de 2013

5º capítulo A mudança


“Meu pai ta paranóico!”
Desde o dia que foram seguidos, S. Caetano não tirava da cabeça  a idéia de que todos deviam ficar em casa. Ele até pedira pro irmão de Helena ficar esperando Júlia na estação e a noite ia  buscar a esposa na escola, até trocara os dias de serviço. E agora a idéia de reformar a casa...
Júlia não podia ficar no portão de casa, seus irmãos não estavam saindo pra jogar bola, principalmente, depois que um dos meninos desaparecidos foi encontrado morto  nas margens do rio Capibaribe. Não era conhecido de Júlia, mas aquilo a deixara muito abalada. Seus pais conversaram muito e até foi abordada a idéia de voltarem pra Capoeiras.
S. Ferreira ofereceu uma casa que ele alugava, enquanto era feita a reforma. Seus pais não pagariam aluguel e a casa ficava na rua Cabo Eutrópio.A Mudança já estava certa pra acontecer no final de semana.    
Quanto a reforma, todas as economias foram tiradas do banco e a igreja também estava doando um pouco de material de construção... todos ajudariam a construir a nova casa. Júlia ficara calada, pois de que adiantava sair para um lugar tão perto ou simplesmente reformar a casa? Qual era o motivo do medo de seu pai?
- Quer dizer que você vai ser minha vizinha? – perguntou Gema pensativa.
- Pois é... e você como vão as coisas? Desistiu da idéia de casar?
Elas estavam no pátio da escola esperando as amigas terminar o teste de biologia.
- Você sabe que sim... eu... eu não posso viver sem Davison!!
- Por que? Por que você diz isso? – quis saber Júlia desconfiada.
- Júlia eu...
- Ai, Gema! Você sabe que pode confiar em mim...
Gema começou a chorar baixinho.
- O que foi amiga? Diga, por favor!
- Eu... Júlia o que você vai pensar de mim...
- Eu não vou pensar nada! Só quero entender o porquê de minha amiga estar tão obcecada com a idéia de casar? O que a fez esquecer uma pessoa que até bem pouco tempo, era seu namorado...
- Eu e o Davison ... nós dois... como posso lhe dizer... – e olhando a amiga nos olhos confidenciou – eu dormi com ele... – e voltou a choramingar
- Gema, como isso aconteceu? – perguntou Júlia incrédula.
- Júlia, não me julgue! Eu sempre namorei o Eli e ele nunca me beijou ou tomou alguma atitude errada... eu sempre quis mais... meus pais confiavam nele e ele nunca ousou tentar nada de errado... sempre planejava nosso futuro e falava que um dia, eu seria sua esposa... mas, como eu podia casar com ele? Como saber se ele era a pessoa certa? Ele foi meu primeiro namorado... e seguia a idéia de fazer a corte...
- Sei... tem uns irmãos lá na igreja que já falaram sobre isso... você namora com a pessoa sem tirar vantagens ou provocar sensações que não podem ser satisfeitas antes do casamento... achei interessante...
- Pois é... eu também! Mas, só no início... ai ficava ouvindo minhas amigas comentando dos beijos, dos carinhos de seus namorados, ouvia a Graça falar das coisas que ela faz com o namorado e fiquei em dúvida... foi quando conheci o Davison lá na igreja... Ele começou a me paquerar e... no começo eu não dava bola, mas ele começou a segurar minha mão, me abraçar e... eu fui deixando... um dia, tive uma discussão com o Eli e fui pro pátio da igreja, foi ai que ele aproveitou pra se declarar...
Júlia ficou calada. Como a amiga passou por tudo isso e nunca contou nada pra ela?
-Ele foi gentil comigo e me chamou pra ir ao cinema, saímos uma duas, três vezes... ele me beijava e me fazia sentir coisas que nunca senti com o Eli... com ele eu não penso... foi quando ele me chamou pra ir a casa dele, conhecer a mãe dele... quando cheguei lá, a casa tava vazia... ele tinha mentido pra mim... eu disse que ia embora, mas ele começou a me beijar a dizer coisas bonitas e quando vi... eu e ele... ai, Júlia! Como eu posso falar isso pro meus pais? Como posso voltar pro Eli? Quem vai querer casar comigo agora? Só ele...
- Gema eu... amiga calma! – Júlia abraçou a amiga enquanto ela chorava – eu preciso perguntar...você...  você está grávida?
- Não... Mas, você conhece minha família, minha vida, minha igreja... Como vou continuar lá? Eu não vejo outra saída... Depois desse dia não deixei ele me tocar novamente, então ele me disse que ia falar pro pastor... disse que eu tinha que casar com ele!! – e ainda chorando, confidenciou - sabe o que é pior? É que descobri que não gosto dele... gosto do Eli, mas agora ele nunca vai me querer...
- Calma! Calma! - e olhando a amiga em prantos disse:
- Antes de tudo amiga, ore comigo...
E ali sentadas ambas deram as mãos e oraram pedindo uma solução a Deus.

********

Era  sexta feira e Júlia voltava da escola com as amigas quando avistou o mesmo homem que a vinha seguindo. Suas amigas também o viram, mas como estavam próximas a casa de Flora, elas correram pra dentro de casa e fecharam a porta, assustando a D. Maria, mãe de Flora.
- Oi, meninas! Que susto! – notando o medo que as meninas demonstravam indagou – O que houve?
- Um homem mãe!! Ele ta no começo da rua e vem nos seguindo...
- Meu Deus! - e indo até a grade, olhou pro começo da rua e falou:
- Mas eu só estou vendo o pai daquela sua amiga que foi adotada, veja!
As meninas se olharam e foram pra grade olhar também.
- Quem está nos seguindo é o pai da Lara? – falou Flora – bem que eu disse que o conhecia...
Júlia sentiu o coração apertado ao lembrar do que Lara recomendara sobre seu pai. A mãe de Flora abriu a grade e disse as meninas:
- Esperem aqui! Vou falar com ele! – e saiu em direção ao homem, que estava parado na entrada da rua.
Ao vê-la, o homem deu a impressão que ia fugir, mas D. Maria chamando-o pelo nome, o fez parar pra conversar. Ficaram ali falando por quase uma hora, as meninas dentro de casa com medo, principalmente, Júlia. Quando eles começaram a se aproximar da casa de Flora, os joelhos dela começaram a tremer, suas mãos começaram a suar frio...
A mãe de Flora parou junto a grade e chamou as meninas:
- Meninas, esse é o pai de Lara... ele não tem notícias da filha a muito tempo e queria saber se vocês tem notícias dela...
O Homem as olhava, desconfiado, o olhar de maldade disfarçado de preocupação...
- Não temos... – Graça falou e Julia pra não mentir continuou calada.
- Bem, se vocês tiverem alguma notícia da minha filhinha...
- Se elas tiverem notícias, S. Joaquim, elas irão me dizer! – falou D. Maria braba – e não quero mais que o senhor as siga ou aborde, se eu tiver notícias eu lhe procuro! – Júlia percebeu o olhar do homem, mas sentiu que ele não mais as incomodaria, pois agora já sabiam quem ele era...
- Ta bom! Desculpe o incomodo! – falou indo embora, sem olhar pra trás.
- Esse daí, não vai voltar a incomodar vocês meninas, mas por via das dúvidas... Dinho!! – gritou D. Maria, pelo filho mais velho que estava no quarto e quando ele apareceu, ordenou – leve as meninas até em casa!!

QUERIDO DIÁRIO
23/03/1990


Hoje descobri quem é o homem que anda nos seguindo... é o pai de Lara!!
Fiquei apavorada!
Quem o reconheceu foi D. Maria, a mãe de Flora... mulher corajosa! Foi lá e enfrentou ele!
Disse que não o queria  seguindo a gente e mandou o Dinho nos trazer em casa... Dinho é o irmão mais velho de Flora, aquele que já namorou com Graça ... pois é, ele me trouxe aqui em casa e quando meu pai viu, quase tem um treco... eu entrei logo em casa e deixei ele conversando com meu pai, que ficou muito mais tranqüilo em saber quem era a pessoa que estava nos seguindo, mas continua paranóico... pensar que namoro o Dinho, ora essa!! Eu vi a cara dele pro meu lado... Dinho gosta de outro tipo de garota rsrsrs assim como a Graça sabe? Cheia de "atitude" e muito liberal, às vezes até demais...
Humm, falando em liberal, a Gema parou com a idéia de casar e estamos orando pra que Deus nos dê uma solução pro caso dela...
já faz quase duas semanas que ela me contou o que aconteceu...
Será que sou mesmo uma boa amiga? Primeiro não percebo o que tava acontecendo com a Lara e agora a Gema... só falta a Flora e Graça me aprontarem alguma... ou será que elas não me acham confiável?
Certa vez a Lara disse que sou muito certinha, por isso não gostava de me contar as coisas, era como se estivesse se confessando com uma freira... ri muito do comentário, mas agora paro pra pensar: será que vivo julgando minhas amigas? O que faço pra ser realmente uma boa amiga?
Amanhã é a mudança!
Vou ter de faltar a aula de piano...urfa!!

Nenhum comentário: