sexta-feira, 23 de agosto de 2013

6º capítulo Orgulho e revolta


Júlia abriu os olhos um pouco zonza ainda.
Seu corpo estava em alerta, algo estava diferente!
Fechou e abriu os olhos, novamente. Estava num lugar escuro, deitada de bruços em algo duro, o corpo todo dolorido... mexeu as pernas lentamente, tentando se virar e esbarrou num braço. Aquilo a fez se sentar assustada. Não estava em seu quarto!
O sono passou rapidamente e com o corpo em alerta, começou a lembrar, pouco a pouco os últimos acontecimentos.  Estava com sua família no vão que Sr Ferreira  alugara para eles, enquanto seu pai reformava a casa deles. O dia anterior fora muito exaustivo, tinham poucas coisas, mas haviam carregado todos os seus pertences e arrumado no quartinho. Era um lugar muito pequeno, Sr Ferreira não queria cobrar por ele, mas seu pai era orgulhoso e não aceitara até ele por preço.
Tateou assustada a cabeceira da cama e sentiu a caixa com suas roupas, sapatos, objetos pessoais e a bolsa de Lara, bem escondida, no fundo da caixa.
Como o lugar era muito pequeno estava tudo amontoado e sem espaço para armarem as camas. Sua mãe improvisara  um local no chão com os colchões de capim seco que ela mesma havia feito. Era muito duro, coçava, podia sentir as pontas do capim espinhando a pele, mas era  o que podiam ter.
Sua mãe juntara todos os colchões, num total de três, as meninas ficaram junto da parede, os meninos no meio e seus pais próximos a porta. Júlia tateou ao redor de si procurando Nila e percebeu que ela não estava no lugar onde a deitara, mas sim aos seus pés, com o braço onde antes estava a perna de Júlia. Seus irmãos durante o sono turbulento rodaram a cama toda, empurrando seus pais para fora do colchão.
-“ Isso  não vai dar certo...- pensou Júlia- como papai vai trabalhar amanhã todo dolorido? E eu? Como vou fazer minha prova de Biologia? Como vou estudar ? como vou estar tranquila na hora da prova, se nem consigo dormir direito, imagine estudar.” Sua mãe quase pegara as redes que D. Quitéria, gentilmente , lhe oferecera, mas seu pai, orgulhoso demais, recusara rispidamente.
Não era a primeira vez que ela percebia o quanto seu pai era orgulhoso. Pra que tanto orgulho? Por que não aceitar ajuda? Aquilo fez surgir sentimento um tanto desconhecido: raiva misturado com decepção e vontade de ser outra pessoa, de ser diferente... sentiu-se revoltada. Seu  desejo era de gritar, fugir, desaparecer, chorar...
-“ Por que tudo tem de ser tão difícil pra mim? Por que não posso ter o que desejo? Por que uma vez na vida não podia ser diferente?”
Voltou a deitar e tentou conter o choro para não acordar os pais e irmãos.
Queria uma vida normal, poder comer sem ter de contar cada concha de comida, usar roupas e sapatos novos, poder sair pra passear, comprar livros,coisas bonitas que passavam na TV ou via nas vitrines da loja, queria poder voltar todo dia de ônibus pra casa. Não podia nem levar adiante seu sonho de ser pianista, pois não tinha dinheiro pra viver da música.
            - “ Pra que estudar então? Pra que? Se não posso nem ser o que quero. Meu pai disse que ano que vem tenho de procurar trabalho, que não pode pagar minha faculdade, se quiser estudar mais terei de fazer vestibular para uma Universidade pública, mas como concorrer? Como passar no vestibular se não posso nem frequentar um cursinho?”
            E ficou acordada até que ouviu seus pais levantando. Fechou o olhos fazendo de conta que ainda dormia.

****
            Já havia passado uma semana após a mudança e Júlia todas as noites não dormia. Estava com olheiras horríveis. Sentia-se sonolenta e irritada durante o dia, qualquer coisa a chateava e sentia vontade de ser grosseira. Na Escola estava ainda mais calada. Suas amigas já haviam percebido o mau-humor da amiga e preferiam deixá-la quieta.
            Contudo, alguém havia percebido. Alguém que não simpatizara com Júlia e a observava desde o primeiro dia.  Sandra estava aguardando a oportunidade de atacar Júlia e humilhá-la, mas a garota sempre estava com as amigas. Não havia motivos para essa hostilidade, ela apenas não simpatizara com Júlia e adorava fazer outras pessoas sofrerem.
            E foi justo na pior semana da vida de Julia que a oportunidade apareceu.
            O toque do recreio fez-se ouvir e os alunos saíram às pressas da sala.  Demorando mais do que o normal pra sair da sala, suas amigas a deixaram pra trás sem perceber. Nesse momento quatro meninas encostaram-se à porta da sala, dentre elas Sandra.
            - Olha só o que temos aqui Adriana?  Kkkkkk
            Júlia que já se encaminhava para porta estancou onde estava. A garota aproximou-se debochadamente, insultando Júlia.
            - Uma magrela sem graça e nojentamente branca – sua voz era cheia de menosprezo e Jú continuou calada, enquanto as outras meninas riam.
            - Ora ora, será que ela tem língua? Por que dinheiro,  sabemos que não tem ou não usaria esse lixo de roupa, nem creme pra pentear os cabelos ela usa kkkkk fede que  nem cachorro molhado, pois deve tomar banho de sabão amarelo...- e continuou a provocar Júlia, chamando palavrões, mas ela continuava parada e calada. Como não via reação da outra Sandra apelou- sua mãe é uma cadela, eu a vi dando...
            Ao ouvir falarem de sua mãe, Júlia que andava muito irritada e quase sem controle, explodiu de vez. Olhou sua agressora e avançou pra cima dela agarrando seus cabelos.
 Sentia uma raiva insana! Queria descontar tudo que sentia toda sua agonia naquela garota, mas sentiu um pontapé em suas costas e alguém puxando seu cabelo por trás.
As amigas de Sandra vieram em seu auxilio e prenderam Júlia, que se debatia, pelos braços. Foi quando Sandra tirou o estilete do bolso, que ela parou de lutar.
- Brabinha né? Quero ver com a cara cortada... – aproximou o metal do rosto de Júlia que a encarava agora assustada.- não vai dizer nada? Talvez não, mas saiba que  você será marcada rsrsrs e não poderá fazer nada!
- O que é isso aqui?- perguntou o zelador passando pela porta. – Soltem essa garota e você não ouse encostar isso nela!
A entrada repentina de Sr Zé distraiu Sandra e Júlia dando-lhe um pontapé, puxou com força os braços, soltando-os e correu em direção à porta.
- Não fuja! Vamos todos pra diretoria!

******

- Uma semana suspensa!! Uma semana? – A mãe de Júlia gritava tanto que suas veias do pescoço estavam puladas- Eu devia te dar uma surra!!  O que tá havendo??
- Já disse que não fui eu! – gritou Júlia – Não sei porque, mas ela começou!!
Sua mãe ,assustada com o grito da filha que nunca sequer lhe respondia quando recebia uma bronca, parou e a encarou . Júlia percebendo o que fizera, que gritara com sua mãe começou sentou na cadeira da mesa, baixou a cabeça e começou a chorar, batendo os punhos na mesa descontrolada. A mesa velha não aguentando as pancadas cedeu, derrubando os pratos e copos que estavam sob a mão de Júlia que não havia parado a tempo e caia junto com aquele monte de vidro e madeira quebrados no chão.
- Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii !!

           
QUERIDO DIÁRIO
01/04/1990

            Pela primeira vez na minha vida não quero falar nada, escrever nada. Apenas deixou uma lista:
            - uma semana suspensa
            - minhas mãos cortadas
            - não poderei mais tocar piano.

            - quero morrer!

12 comentários:

Nequéren Reis disse...

Olá!!!, Deus te abençoe,amiga texto ótimo, o seu blog é maravilhoso, continue assim, S-U-C-E-S-S-O
Já estou te seguindo, aguardo a retribuição.
Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis
Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

Talita Oliveira disse...

Nossa, que briga!!

http://colorfashionmakeup.blogspot.com.br/

Ana Lia Santos disse...

Gostei muito ;) acessem ~> http://espacoteencomanaliasantos.blogspot.com.br/2013/08/tic-tac-do-relogio.html

Isa Lopes disse...

Muito bom!
Fiquei curiosa para saber o resto , beijos!
Ah!Se você tiver mesmo interesse na entrevista hehe, depois
A gente combina, se você quiser é claro.
islary34.blogspot.com

Angela Lira disse...

Tenho sim Isa, pode mandar que vai ser um prazer!
meu email é apblira@gmail.com
Abraços

Leticia Sanches disse...

FLOR TEM SELINHO PRA VOCE TAH BJOS
http://dicadaleticia.blogspot.com.br/2013/08/selo.html

Isa Lopes disse...

Passando para avisar que tem uma tag
para você lá no blog, confere lá! Beijos!
http://islary34.blogspot.com.br/2013/09/tag-incentivo-leitura.html

sabrina naia Oliveira disse...

Oi linda vim te conhecer e conhecer o blog, amei e claro né seguindo com muito prazer e ansiosa por uma visitinha sua se gostar segue,,
Beijos com carinho..
Blog-Sempre Bella.
http://sabrinielo.blogspot.com/

Ana Cristina Manhaes disse...

Vim conhecer seu cantinho e gostei muito. Quando puder venha conhecer os meus também.

Crescimento Cristão - Maturidade & Blog Crescimento Cristão

TENHO 2 GRUPOS DE DIVULGAÇÃO (UM EM CADA BLOG), VENHA FAZER PARTE :

Parceria Entre Blogs

&

Entre Blogs Grupo de Divulgação


Bjs

Cris

Luana Mendes disse...

Nosa, que texto peguei no sexto capitulo mas vou ver os primeiros...
Seguindo aqui, parabéns pelo blog!!
Beijos
Venha conhecer meu cantinho!? Te espero!!
Menina Diva da Moda!# Venha Conhecer?!# Libere a Diva que há em você!Divulgue aqui suas Redes Sociais!!

Angela Lira disse...

Obrigada Leticia! Estou respondendo esse fim de semana! bjs

Bia Suzena disse...

ai, meu Deus!!! a história ta cada vez melhor... eu fiquei com tanta dó Jú, puxa vida!!! Que situação!! E to agora na curiosidade.. vou seguir minha leituraa!!